Um dia, de Dezembro, Jessica Verheij e eu caminhamos dentro de Marvila para tentar encontrar espaços que pudessem ser considerados vazios. Marvila é uma área em forte transformação, e a interpretação dos seus vazios, ou presumíveis vazios, é fundamental para definir o seu futuro e preservar a sua identidade. Em conjunto, identificámos 10 tipos de vazios. Para cada uma delas tirei uma fotografia e gravei alguns segundos de áudio.

Design, som e fotografias de Francesca Berardi da equipa ROCK ICS-ULisboa

I. Vazio das ruínas

II. Designed vazio

III. Descampado

IV. Vazio escondido atrás de muros (em construção)

V. Casas vazias

VI. Vazio de um passado que sente-se mas não existe

VII. Vazios de planos inacabados

VIII. Vazio como espaço da liberdade e ocupação livre

IX. Vazio de lugares que vão a desaparecer

X. Fábricas fechadas